você está lendo...
Grappindica

ELEIÇÕES NA ERA DA INTERNET

Google Eleições

Google cria ferramenta para usuários acompanharem candidatos

O Brasil possui 85,9 milhões de usuários de internet, ou seja, mais da metade da população brasileira está conectada, seja por smartphones, tablets, desktops ou laptops. De acordo com a pesquisa TIC 2013, divulgada pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI), 49% dos domicílios brasileiros têm um computador em casa. Em um mundo globalizado e conectado como o atual, os dados acima representam e muito para a disseminação rápida e constante da informação.

Pensando nisso e após testes nos processos eleitorais da Alemanha e da Índia, o Google resolveu lançar no Brasil uma plataforma para ajudar os eleitores a conhecer os candidatos à presidência da república, aos governos estaduais e ao Senado Federal. Chamado de “Google Eleições”  – www.google.com.br/elections/, o site foi realizado em parceria com o Tribunal Superior Eleitoral e a ONG Transparência Brasil. A ferramenta concentra informações precisas sobre cada candidato, com notícias, vídeos e outros conteúdos de parceria da imprensa, como os últimos debates, a agenda de eventos e o link para a plataforma de governo dos candidatos. “Nosso objetivo foi colocar as tecnologias do Google à disposição dos eleitores para estimular uma participação pautada na informação. Esperamos que a plataforma Google Eleições ajude a pesquisar, descobrir mais e votar conscientemente”, disse Valdir Leme, gerente de marketing do Google, no blog do site.

Para Mauro Castro, professor do UniCeub (Centro Universitário de Brasília) e coordenador de pós-graduação em Marketing Digital, a internet pode superar a televisão em pouco tempo como principal fonte de informação. “Potencializada pelas redes sociais, a quantidade de conteúdo e a linha de coerência aparece com muita força nos meios digitais”, opina. Segundo ele, os candidatos podem utilizar a internet para arrecadarem votos, interagindo com os eleitores e colocando suas opiniões sobre cada assunto em diferentes momentos. “Isso significa que não precisa despejar todo o conteúdo de uma vez só. Ele pode abordar cada assunto no melhor momento”, revela.

Já Patrícia Andrade Ladeira, especialista em marketing digital e mídias sociais acredita que as redes sociais são o meio mais fácil, rápido e certeiro de se chegar ao eleitor. Para isso, segundo ela, o candidato deve criar perfis profissionais e postar as suas propostas, abrir espaço para o debate e, caso já tenha passado por algum cargo público, deve apresentar o que fez em seu mandato. “Além disso, sempre usar o espaço para buscar a participação do eleitor na sua gestão, caso seja eleito. Mostrar apoio é importante, mas que isso não se transforme no principal conteúdo da sua página”, explica.

Apesar de não acreditar na influência da plataforma recém-lançada pelo Google, Patrícia aprovou a ferramenta e aproveitou para pesquisar mais sobre os candidatos. “O site ajuda na escolha do pretendente a um cargo político já que é possível ter a informação pronta e concisa sobre cada um. Além disso, é um grande passo na democratização da informação. Seria bom e proveitoso que o Google mantivesse esta plataforma após as eleições, como forma de monitorar o trabalho dos que forem eleitos”, destaca.

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Sobre grappiando

Grappa Editora e Comunicação

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Grappa tweets

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: